Mundo das Sementes
Model: Sementes
Product ID: 1527
Product SKU: 1527
New In stock />
Sementes de Jatobá do Cerrado - Hymenaea Stigonocarpa - Atacado por peso - Mundo das Sementes

Sementes de Jatobá do Cerrado - Hymenaea Stigonocarpa - Atacado por peso - Mundo das Sementes

Lançamento

Marca: Mundo das SementesModelo:SementesDisponibilidade: Imediata

Na compra desse produto ganhe 11Pontos

A Partir de:
R$ 11,00

R$ 9,90 à vista com desconto Pix - Yapay
Simulador de Frete
- Calcular frete

Sementes de Jatobá do Cerrado – Hymenaea stigonocarpa - Mundo das Sementes

 

SAFRA ATUALIZADA

LOTE: 2022.1.4

QUALIDADE PREMIUM (Armazenamento à frio, com umidade controlada, para manter as sementes sempre saudáveis)

MANUAL DE GERMINAÇÃO E CULTIVO INCLUSO.

 

 

INFORMAÇÕES SOBRE A ESPÉCIE

Jatobá do Cerrado – Hymenaea stigonocarpa

- O Jatobá do Cerrado é uma árvore de forma irregular, que ocorre no norte, centro e leste do Brasil e no Paraguai, e mede por volta de 6 a 9 m (20 a 30 pés) de altura, e pertence à família das leguminosas (Fabaceae). Tem tronco retorcido em forma de fuso, uma casca cinzenta muito áspera e galhos castanho-avermelhados. As folhas decíduas consistem em dois grandes folíolos assimétricos com uma margem inteira. As flores ocorrem em cachos de até trinta no final dos ramos. Produz frutos farináceos comestíveis e muito apreciados, que muitas vezes são recolhidos na natureza e utilizados pela população local.

- Friedrich Gottlob Hayne, um botânico alemão, descreveu cientificamente esta espécie pela primeira vez em 1830 como Hymenaea stigonocarpa, um nome que já havia sido usado antes por Carl Friedrich Philipp von Martius, e foi baseado em um espécime coletado de um tipo de floresta sazonalmente seca, conhecido localmente como Caatinga, no estado do Piauí, nordeste do Brasil, durante sua expedição de 1817-1820.

- Em 1870, no entanto, George Bentham aplicou o nome a espécimes coletados no Cerrado do Brasil Central, e o nome desde então tem sido usado em associação com espécimes do Cerrado. Além disso, ele criou a subespécie pubescens. João Barbosa Rodrigues, um dos mais famosos botânicos brasileiros, em 1898 distinguiu H. chapadensis, assim como H. correana, ambos considerados mais tarde sinônimos de H. stigononcarpa subsp. pubescens.

- Em 1925, Adolpho Ducke atribuiu o nome de Hymenaea velutina a espécimes coletados no nordeste do Brasil, que também passou a ser amplamente utilizado para espécimes da Caatinga. Recentemente, foi estabelecido que o material original usado para descrever H. stignocarpa pertence à mesma espécie que o tipo de H. velutina. Agora foi proposto conservar o nome H. velutina sobre H. stigonocarpa Hayne, e continuar aplicando H. stigonocarpa para as espécies do Cerrado usadas por Bentham. - O Jatobá do Cerrado tem, geneticamente, vinte e quatro cromossomos (2n=24). É uma árvore de folha caduca, de baixa a média altura de 5 a 9 m e tronco de diâmetro de até 50 cm na altura do peito. O tronco é retorcido coberto por uma grossa casca áspera cinza e galhos marrom-avermelhados. Suas folhas surgem alternadamente, e consistem em dois folhetos coriáceos, em forma de rim a ovalados de 6 a 24 cm de comprimento, e 3,5 a 7 cm de largura com brácteas caindo rapidamente, chamadas estípulas), em sua base.

- As flores desta espécie são as maiores do gênero, e as pétalas são um pouco maiores que as sépalas. As cinco sépalas são grossas e são desviadas quando as flores se abrem. As cinco pétalas brancas têm aproximadamente 22 mm de comprimento e 12 mm de largura e são colocadas na borda de um hipanto largo. Dez filamentos longos, brancos e livres de 40 mm são inclinados por anteras longas de 9 mm. No meio do hipanto há um único carpelo carnoso em uma haste curta de 6 a 8 mm estigma na ponta. Até trinta flores são colocadas em inflorescências na ponta dos ramos, subtendidas por brácteas.

- A espécie depende de polinização cruzada e é polinizada principalmente por morcegos. Flores autofecundadas são abortadas após uma semana.

- As flores ricas em néctar do Jatobá abrem à noite e são polinizadas por várias espécies de morcegos, entre as quais os frugívoros Platyrhinus lineatus e Carollia perspicilata e o especialista em néctar Glossophaga soricina. As mariposas também freqüentam as flores, mas parecem ineficazes em polinizá-las.

- As sementes autopolinizadas não amadurecem completamente. Embora os grãos de pólen da própria flor criem tubos e fertilizem óvulos com tanto sucesso quanto o pólen de um espécime diferente, após sete ou oito dias os frutos autopolinizados caem da árvore. O mecanismo para abortar frutos autopolinizados não é conhecido, mas os óvulos fertilizados de forma cruzada crescem mais rápido desde o início.

- Devido a sua madeira ter um grande valor econômico, tem sido explorado de forma irracional sem reposição da mesma no ambiente natural a tornando uma das espécies ameaçadas incluída na lista oficial das espécies da flora brasileira ameaçadas de extinção. Além disso, a espécie tem sido muito utilizada em arborização urbana e rural e em recomposição de áreas desmatadas.

- A fruta madura é marrom claro a escuro com glândulas claras pequenas e regularmente espaçadas, leguminosa seca, indeiscente e coriácea de 9 a 20 cm de comprimento, 2 a 6,5 cm de largura e 2 a 4,3 cm de espessura, com base arredondada, ponta levemente pontiaguda e margem reta ou ondulada. O mesocarpo e o endocarpo foram transformados em polpa amarelada, macia, fibrosa, levemente adocicada, farinhenta e com cheiro característico. Uma linha de sutura proeminente circunda toda a leguminosa. Os frutos amadurecem entre abril e julho no Distrito Federal, julho a novembro no Mato Grosso do Sul e agosto em Minas Gerais. Contém de uma a seis sementes. Essas sementes são marrom-avermelhadas, ovais, comprimidas lateralmente, 18–28 mm de comprimento e 9–20 mm de espessura, com ponta e base arredondadas, superfície irregular e algumas depressões Frutas muito maduras, entram em estado de decomposição, e emitem um cheiro desagradável.

- Ao produzir anualmente grandes quantidades de frutos que são consumidos pela fauna terrestre, a espécie também desempenha um importante papel ecológico. Tem sido sugerido que a cutia é responsável pela maior parte da dispersão de sementes de Jatobá.

- Ao contrário de muitas outras espécies da família Fabaceae, diz-se que o Jatobá não possui bactérias simbióticas do solo e, portanto, é incapaz de usar diretamente o nitrato produzido pelas bactérias a partir do nitrogênio atmosférico.

- O Jatobá do Cerrado é uma árvore importante para o povo do Cerrado brasileiro, e representa um valor econômico substancial com sua madeira de alta qualidade, resina e frutos comestíveis. Essas frutas podem ser utilizadas para a produção de farinha e no preparo de diversos tipos de alimentos. Com a crescente demanda pelos produtos desta planta, há a necessidade de cultivo comercial e de cultivo doméstico de mudas de alta qualidade.

- A polpa do fruto do Jatobá contém cerca de 5,5% de proteína e quase 50% de farinha rica em fibras composta por 40% de fibra insolúvel e cerca de 9% de fibra solúvel.

- A farinha de jatobá é apreciada pela população do Cerrado e utilizada para preparar geleias, licores, bolos, pães e mingaus. A resina do caule do jatobá do cerrado é usada para polir canoas e para produzir vernizes.

- Estudiosos mostraram uma grande variação genética entre e dentro de subpopulações que corresponde à variabilidade no peso do fruto, e isso fornece perspectiva para variedades de melhoramento com características mais favoráveis para uso humano.

- As mudas podem ser cultivadas em sacos plásticos com 50% de sombreamento e se desenvolvem melhor em solo mineral sem composto orgânico e em estufa.

- O Jatobá cresce melhor em um local ensolarado e prefere solos bem drenados. Quando estabelecidas, as árvores são resistentes à seca. Em geral, cresce lentamente. O Jatobá do cerrado também pode ser cultivado como ornamental.

- Um estudo mostrou que extratos de H. stigonocarpa suprimiam a divisão celular em cebolas, e isso pode implicar que contém alguma substância citotóxica.

 

FICHA TÉCNICA DA ESPÉCIE 

- NOME POPULAR: Jatobá-do-Cerrado (MS), Jutaí, Jatobá-Capo (BA), Jatobá-de-Casca-Fina, Jitaí (BA) e Jutaicica;
- NOME ESPECÍFICO: Hymenaea stigonocarpa var. pubescens;
- FAMÍLIA: Fabaceae - Caesalpinioideae; 
- POTENCIAL DE GERMINAÇÃO*: +/- 50%*;
- OCORRÊNCIA NATURAL: Piauí, Bahia, Goiás, Minas Gerais, Mato Grosso do Sul e São Paulo, no cerrado.
- CLIMA: Tropical, Semiárido; 
- ALTURA MÁX: 6-9m;
- COPA (DIÂMETRO MÁX): 3-9m;
- ESPESSURA DO TRONCO (DIÂMETRO): 40-50cm;
- COMPORTAMENTO: Semidecídua;
- COR DAS FOLHAS: Verde médio;
- TAXA DE CRESCIMENTO: Lento (<40cm/ano);
- FLORESCIMENTO: Discreto, flores surgem em racemos terminais.
- COR DAS FLORES: Brancas.
- FRUTO: Legume sublenhoso, com polpa farinácea amarelada, contendo 2 a 6 sementes.
- MADEIRA: Pesada (densidade 0,90 g/cm³), muito dura e resistente, moderadamente durável quand exposta, com alburno distinto. Muito apreciada para construção civil e naval, a despeito de suas pequenas dimensões; também utilizada para obras de torno, peças de resistência, etc.
- CULTIVO: Sol Pleno. 

 

**Fontes de Informação:

* Lorenzi, Harri. Árvores Brasileiras.Vol.1. Nova Odessa: Instituto Plantarum de Estudos da Flora Ltda. 2003.

*Teste Laboratorial de Germinação do Lote de Sementes, realizado pelo fornecedor indireto.

*Teste de Viabilidade: Método “Cut”. Realizado à cada 15 dias.

*Teste de Germinação. Realizado a cada dois meses

Resultados sinalizados na ficha técnica do produto.

**Os Descontos incidem apenas sobre os produtos.

Descontos não cumulativos entre si, nem com outros descontos e promoções do site.

 

 

 

Nota Excludente de Responsabilidade:

O Mundo das Sementes utiliza métodos exclusivos e cientificamente comprovados de armazenagem de sementes à frio, com umidade controlada, que prolongam a viabilidade das sementes por até 2 anos*. Ademais, são realizados testes quinzenais de viabilidade e testes bimestrais de germinação, tudo a fim de assegurar que o produto que estamos comercializando é da mais alta qualidade.

Atentamos que a obtenção do sucesso na germinação depende somente da habilidade de quem as cultiva, o que nos isenta de qualquer responsabilidade, quanto a erro no procedimento, sobre o qual não temos nenhum controle. Deste modo, nossa garantia e o suporte oferecidos pelo Mundo das Sementes, não cobrem plantios de sementes não realizados de acordo com os respectivos manuais de cultivo, originais do Mundo das Sementes, elaborados especificamente para cada espécie.

Caso tenha alguma dúvida, entre em contato conosco.

O uso do Serviço de Suporte exclusivo dos clientes do Mundo das Sementes está condicionado à apresentação do respectivo número do Certificado de Autenticidade dos produtos Mundo das Sementes recebido junto com o seu pedido.

Cada Certificado de Autenticidade é vinculado única e exclusivamente ao pedido específico junto ao qual foi enviado, não sendo aplicável a outros pedidos anteriores ou posteriores, ainda que tenham sido comprados pelos meios oficiais, sites, lojas e boutiques Mundo das Sementes.

Deixe seu comentário e sua avaliação







- Máximo de 512 caracteres.

Clique para Avaliar


  • Avaliação:
Enviar
Faça seu login e comente.

    Confira os produtos

    google-site-verification=p17QTjin31uc0wiX8x8puN2u2B5C_IVOXa6rIN9xgec